Namorar aos 14 anos

Sou amiga de um garoto há cinco anos. Ele é o meu melhor amigo, só que agora tou gostando mais dele. Acho que me apaixonei. Ele disse que tmb estava apaixonado por mim. O que eu não sei é se já posso namorar gente !!!! me ajudem, sou um pouco tímida !!!!! Ele tmb é da minha idade !!! Aviso já: não gosto de 'coisinha' . olá ,tenho 14 anos e eu conheci um menino de 16 anos .ficamos por 5 meses ,pra ver se gostamos um do outro. então quando completamos 5 meses ,ele me pediu em namoro 'oficialmente '.eu aceite ,pq gosto muito dele .meu primeiro amor ,só que tenho medo de contar aos meus pais,pq eu nao tenho muita liberdade com eles .estou com muito medo ,mas quero muito contar ,pra mim tirar esse peso da ... Decidiu experimentar o poliamor e começou a namorar com um casal, Simon e Kelly. A mulher, de 37 anos, sempre se abriu em relação à sua pansexualidade (atração por pessoas no geral) com o marido, desde que se conheceram aos 20 anos. No entanto, acabou por nunca ter a oportunidade de explorar os seus desejos por estar ocupada a criar os ... Quer namorar comigo tenho 14 anos 2 Ver respostas ISABELATONONFERREIRA ISABELATONONFERREIRA ... As redes sociais são exemplos de como a interação entre as pessoas se revolucionou nestes últimos anos. A expansão dela aos locais mais longínquos do planeta aproximou a humanidade e unificou o compartilhamento de ideias. Uma prova dessa ... Kkkkk boa sorte, não se esqueça,PODE SIM NAMORAR!!! NAO IMPORTA A IDADE MEU BEM KKK VAI PRA CIMA !! Obs: eu acho ridículo essas véia falando merda, de quando ELAS eram assim e tal blabla , caralho meu cada um é cada, se ela nao teve gostado de alguém com 13 14 anos sei lá problema é dela cada um é cada um PORRAAAA!!!! bjuu Seguramente si te encuentras entre los 12 años y los 14 años pienses que es complicado conquistar a una amiga de la que estás enamorado, pero si sigues los siguientes consejos es posible que llegues a interesarle y cautivarla lo suficiente para que quiera salir contigo.. 1. Siempre se amable. No te dejes engañar por las películas, donde a las chicas les gustan los típicos chicos ... Namoram fez ontem quatro anos. Ela tinha 14, ele 16. ... Em todo o caso, os jovens esperam mais tempo para ter sexo do que os casais que começam a namorar aos 40, aos 50 ou aos 60 anos. A forma ... Aos 14 anos, atriz está namorando há 1 ano Erick Andreas, de 15. Após dizer que sonhava se casar com o estudante, Mel recebeu várias críticas nas redes sociais, mas neste domingo (02), em ... Aos 14 anos, Mayane Brasil Batista, de 14 anos, que vivia no município de Manacapuru, em Manaus, foi morta pelo ex-namorado no último dia 14, conforme revelou a equipe da 1ª Delegacia Regional ... Namorar não é crime. Manter relações sexuais com menor de 14 anos é estupro presumido. Se ela tiver 14 anos ou mais e consentir, não há delito. Se você está sendo processado no juizado especial, não é por estupro, tão pouco por atentado violento ao pudor, pois estes delitos não se enquadram nos requisitos da lei 9.099/95.

eu não entendo mas é triste

2020.09.21 19:42 Rare_Bed_8592 eu não entendo mas é triste

pessoas dependentes que precisam namorar pra ser feliz, qual é a fucking big deal, vai assistir coisas que gosta, vai achar algo que ama, não sei, para de se importar em ter um humano por perto, eu sei humanos são coisas sociaveis mas isso já é superestimado pra caralho, ainda quem fala de sexo toda hora, eu me enojaria, larguem de ser tão dependentes que isso não é bom, eu vi um desabafo de sexo aqui que e parecia ter 13/14 anos pelo jeito de falar, eu entendo hormonios são ruins e tal, igual gata no cio que simplesmente sofre por instinto mas não sei pra mim tudo isso é fudido, eu acho que fui tanto gostar de pessoas assim no passado que hoje eu tenho trauma e nojo de tudo que eu pensei, de qualquer forma foi quando eu tinha 11/12/13 anos e era só gostar de pessoas mesmo, enfim cada pessoa é diferente e eu acho que isso é superestimado demais, eu viveria de boas sem algum namorado/a, e tambem para de falar ''aiai sou bv com xx anos'' fodase cara, eu sei isso deve estar ligado com autoestima, mas se preocupar com isso é uma merda mesmo, é foda também ver aluna da minha sala com bebe aos 13/14 anos, prima também com sei lá quantos anos
submitted by Rare_Bed_8592 to desabafos [link] [comments]


2020.09.12 17:23 NaomyChan Oii Luba, turma, editores, gatas e todo tipo de coisa que pode estar vendo ou lendo isso. Essa é a história de como um ex meu ficou obcecado por mim. (Essa história pareci de um nice people, mas não rola xingamento, então não sei como identificar kk)

(Vamos um pouco pro passado, inicio do ano em fevereiro) Antes de a gente começar a namorar com ele, eu conheci uma menina ( vamos chamar ela de Rainara) e queria muito fica com ela, porém ela tava namorando, mas tinha dito que se a gente se encontrasse de novo nos poderíamos ficar se eu quiser se, logico que eu aceitei, como na época esse cara o Cars era meu melhor amigo, eu contei pra ele. (Se passou, agora em Julho) Eu era muito próxima do Cars, e ele começou a gostar de mim e me pediu em namoro, eu aceitei porque achei que gostava ele, umas semanas depois, eu tava percebendo que eu tava gostando da Rainara de um jeito diferente, ai eu me toquei que eu gostava do Cars como amigo e senti a algo mais pela Rainara. Terminei o namoro com ele. (Agora vamos pra, quinta feira agora, dia 10 de setembro) Eu pedi a Rainara em namoro e ela aceitou, no dia seguinte eu coloquei que tava namorando nos status e o Cars veio encher meu saco. (Hoje dia 12 de setembro rolo o seguinte dialogo, copiei a conversa do WhastApp mesmo porque é mais fácil como ele digita palavra por palavra eu tive que da meu jeito pra n fica tão longo) [02:55, 12/09/2020] Ser Insuportável: Vc Foi Desleal A mim Se era Afim Dela Não tinha Aceitado Namorar Cmg Como dizia Me amar Amando Outra Isso Tudo So por não estou ai Olha so Fassamos assim estou disposto a esquecer tudo isso apenas volte pra mim e vamos retomar um futuro que ainda temos pela frente
[08:55, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Vc sabe q tem como gostar de 2 pessoas ao mesmo tempo neh? No caso n é só pq você não ta aqui. Entenda EU TO NAMORANDO
[10:33, 12/09/2020] Ser Insuportável: Otimo Entt Pq Não nos 3?
[10:34, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Pq eu n gosto mais de vc? Entenda
[10:34, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Eu n gosto mais de vc
[10:39, 12/09/2020] Ser Insuportável: Mentira Isso E mentira E vc sabe So ta dizendo isso Pra que eu pare de insistir Mas não vou Pq eu te amo Quem ama cuida protege da carinho e nunca abandona Não faz isso cmg vey porfv volta pra mim🥺❤️ Quando nunca mais Achei Que fosse Feliz
[10:43, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Cara
[10:43, 12/09/2020] Ser Insuportável: Deus te colocou
[10:43, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Vai te fude
[10:43, 12/09/2020] Ser Insuportável: Na Minha
[10:43, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Entende
[10:43, 12/09/2020] Ser Insuportável: Vida
[10:44, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: EU NÃO TE QUERO MAIS, EU NÃO GOSTO DE VOCÊ, EU NÃO TE AMO MAIS
[10:44, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Entende
[10:44, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: EU TO FELIZ NAMORANDO UMA GAROTA INCRÍVEL
[10:44, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: Entende isso
[11:10, 12/09/2020] Ser Insuportável: Mentiraaaaaaaaaa Pohaaaaaaa Para de mentir Pra mim Vc me ama Se Não amasse não teria me dado uma oportunidade
[11:10, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: desculpa
[11:10, 12/09/2020] Ser Insuportável: E vc que não entende isso
[11:11, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: mas acho q ta confundindo as coisas
[11:11, 12/09/2020] Ser Insuportável: Não
[11:11, 12/09/2020] Ser Insuportável: Não to
[11:11, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: como eu tinha falando antes, EU CONFUNDI AMIZADE COM AMOR, EU NÃO QUERO VOCÊ MAIS, EU TO NAMORANDO COM UMA GAROTA, entende as coisas! Não se confunda, se tu acha q é mentira o trem deu ta namorando eu te mando print deu pedindo ela em namoro
[11:13, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: entende cara: eu n quero vc
[11:14, 12/09/2020] Ser Insuportável: Olha eu posso ate se apaixonar por outra pessoa o que eu acho dificl e o coração obedecer Ele so pertence a vc Não vou deixar Vc Ir Eu amo vc e so quero vc Pra mim Não me peça para entender O impossível Mas eu peço para você compreender que eu te amo e eu não quero te perder
[11:16, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: cara só supera
[11:16, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: e para de encher a porra do meu saco
[11:16, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: tu ta a quase 1 mês no meu pé
[11:17, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: já n aquento mais vc
[11:17, 12/09/2020] Ser Insuportável: Fala o que vc quizer Mas eu não vou Desistir Ja disse Não vou
[11:19, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: só para de manda msg
[11:19, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: agradeço
[11:20, 12/09/2020] Ser Insuportável: Não Vou Para Vou mandar Ate Vc Perceber Que o unico Amor Da Sua Vida Sou eu
[11:22, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: O porra, para de ser obcecado por mim! Eu n gosto de vc!!
[11:23, 12/09/2020] Ser Insuportável: Não dá sempre que eu penso em você meu coração dispara sempre que eu tô dormindo tô querendo contigo sempre quando eu não tô fazendo nada tô sempre pensando em você não dá para esquecer um grande amor
[11:23, 12/09/2020] 🏳️‍🌈♥️Eu♥️🏳️‍🌈: cara vc ta parecendo um psicopata obcecado, isso ta mt estranho e tbm fica mais estranho ainda pq vc é maior de idade, velho só para, só me deixa em paz Ai eu dei um block Minha namorada mandou mensagem pra ele falando que era pra ele parar de me incomodar, se ele quiser se amizade tava tranquilo que ela não se importava, mas que ele confundiu as coisas, etc (a mesma ladainha que eu já tinha falado) ele foi e xingo ela de todos os nomes possíveis e falou que a culpa de eu e o Cars terminamos era dela, sendo que a culpa foi minha de confundir as coisa E esse é o fim, espero que ele não me procure mais. Tenha um bom dia Sr. Leitor ^^
submitted by NaomyChan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.12 06:59 Sofiateama * ALERTA, PROBLEMA DE GAROTAS DE 14 ANOS *

Bom... de onde ou começo? Eu amo um garoto que eu vou chamar de doodle aqui, ele ja chegou a gostar de mim mas depois percebeu que era só amizade, ele comecou a namorar uma garota e então eu me distanciei dele... quando ele terminou com ela eu me aproximei e ele achou muito estranho e veio me cobrar, eu disse que gostava de outro ( que na época eu estava fingindo gostar de outro pra dar uma disfarçadas). As pessoas que me shippavam com ele aos poucos pararam de shippar e meu coração foi ficando cheio de rancor, eu me distanciei denovo dele e então o doodle que suspeitava de algo ficou simplismente confuso. Nos nos conhecemos em um grupo e ele sempre ficava ativo, quando foi diagnosticado com depressão acho que deveria ficar longe de todos e saiu do grupo. Agora que ele voltou, chamei ele pra jogar mine e conversar ( o que fazíamos quase todos os dias ) e então ele começou a falar sobre uma tal de carls que era muito melhor loli do que eu (sou conhecida no grupo como loli kkk), fui perguntando e tals e então descobri que ele gostava dela (eles tão namorando agora e ele até me pediu dica de relacionamento). Fiquei brava mas tomei vergonha na cara e parei de ficar com ciuminho bobo pra ele, eu criei um textinho muito fofo, esse aqui:
"Carta aberta pra pessoa que eu amo: o que eu sinto por você é maior do que tudo, toda hora eu penso no seu sorriso e como vc é incrível, as vezes eu sinto muito ciúmes por você gostar de [email protected], porém eu entendo que não posso te ter, então quero que vc se case e seja muito feliz com [email protected], eu te amo. Vc me fez feliz e quando eu via que vc estava triste eu não só sentia sua dor como sentia que poderia fazer qualquer coisa para te fazer feliz, sinto que meu coração acelera muito toda vez que te vejo e vc é muito, muito incrível. Queria te ter e te amar pra sempre."
E postei no status falando que " se vc está vendo esse status, vc tem 5% de chance desse texto for pra vc", e a primeira pessoa que me respondeu foi quem? Óbvio que o doodle! Ele disse " nem sei quem é mas ja shippo, aliás, não sou eu nem fudend* né kkk", eu fiquei tipo: WTF, mas como eu sou troxa eu falei que não era ele e continuei a vida. Agora chegamos ao presente, o doodle joga comigo quase todo dia e ele fica insistindo pra que eu fale de quem eu gosto, MAS EU NÃO SEI O QUE FAZER! Eu devo revelar meu amor? Eu eu devo deixar quieto por ele estar namorando outra? Ou eu devo parar de falar com ele pra sempre? Pir favor me ajudem, sei que é problema de garotas de 14 anos, mas eu que tenho ansiedade fico toda hora pensando que todos a minha volta sabem disso e estão me julgando (coisa que acontece só quando eu to me sentindo culpada por algo).
Edit 1: ele viu o post e continuamos a ser amigos :3
Edit 2: não só amigos mas agora estamos namorando!(to com medo de ser corna pq ele ja traiu outra namorada 😳)
submitted by Sofiateama to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.08.19 02:57 fotosintetico Minha tristeza e aflição por falta contato com garotas

Eu cresci em uma família muito religiosa, por isso cresci achando q namorar sem o intuito de se casar era errado Sendo assim acabei q por muito tempo me distanciando das garotas sem conversar sem tocar sem nada desde criança, nunca soube como sequer falar,por isso elas sempre me trataram com diferença e nojo ,sofri e sofro com as consequências até hoje de nunca ter me aproximado muito de garotas ,olho para os lados e me vejo diferente dos outros vejo eles crescendo na vida conversando com garotas todos eles, e eu até hoje sem ter uma grande conversa ,beijo ou sequer um abraço,até hoje passo por depressões vão e vem , a sensação de ser diferente dos dos outros sempre me deixou muito mal ,saber q todos a minha volta já namoraram se beijaram me detona ,não ter me aproximado na idade certa acabou comigo transformando em uma luta diária de não me aproximar, Minha irmã sempre teve bons contatos com meu pai de falar sobre namoro, aos 14 anos ela conversou com meu pai sobre, e ele disse q só deixaria ela namorar qnd ela tivesse 16, o tempo passou hoje tenho 16 anos e nunca conversei com ele sobre Os meus pais sempre desconfiavam q minha irmã estava namorando ,passando por seria discussões entre eles ,hoje ela tem 21 anos e namora com um cara a 3 e meus pais apoiam, Uma das coisas que mais me deixa mal e que mesmo a minha irmã tendo passado por tudo que eu passei ela ainda beijou com 12 anos namorou várias vezes ,teve mais amigos homens do que mulheres ,e eu ainda aqui com 16 e nada E de mim meus pais nunca suspeitaram nunca colocaram regras me fazendo ainda mais triste por nem meus próprios pais pensarem algo melhor de mim
Isso acaba comigo diariamente
submitted by fotosintetico to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 21:15 Pleasant_Flow_6803 Estou Feliz, agora. Desabafo em forma de AmA

Prelúdio
Faz alguns meses que conversando aqui e no brasil tenho pensando em uma forma de retornar a comunidade o tanto que eu ganho lendo e respondendo posts. No entanto não curto falar muito sobre a vida privada, é muito fácil juntar algumas peças e perder a privacidade na internet.
Em alguns desses posts pude dividir histórias com pessoas passando por um momento difícil, e mesmo com alguns pedidos para falar mais sobre, sentia esse problema da privacidade para aprofundar em algumas respostas.
Tive então ideia de fazer um Ask me Anything(AmA) por aqui(mods, ta valendo?) em formato de desabafo. Obviamente essa é uma conta nova, descartavel.
Meu desabafo
Eu uso nosso subreddit como uma forma de elevar minha empatia. Sempre tive muito dificuldade com empatizar com pessoas em situações distantes a minha realidade. Quando entrei aqui a ano atrás consegui em poucos dias ja melhorar muito no meu dia a dia. Nunca fui indelicado com ninguém(eu espero) mas na minha cabeça sempre via os problemas como muito fáceis de resolver e parecia que as pessoas gostavam de passar trabalho.
Depois de ir na terapia(com essa meta de melhoria da empatia), consegui abrir a mente e os olhos. Por motivos diversos, o ser humano não consegue sair de dentro do problema e ver as coisas de forma desconstruída. Quando se está de fora, sem o peso de tomar uma decisão, tudo tende a ser mais fácil. É preciso ter empatia para ver isso.
Sobre Mim
Minha conta oficial no reddit é de 2013, mas tenho usado mais nos últimos 5 anos.
Tenho 36 anos, casado, dois filhos de 8 e 3 anos.
Minha esposa e eu estamos felizes, e a pandemia teve um efeito positivo, estamos mais próximos do que nunca(seja no aspecto de parceria, amizade ou seja no sexual).
Nos conhecemos jovens ainda, começamos a namorar aos 21 anos(sou alguns meses mais velho).
Tive bons privilégios familiares na minha criação. Família com amor e uma certa estabilidade financeira(pai bancario, mãe professora). Até os 18 anos, sempre morei no interior(cidade de 10k habitantes), ou seja por um lado tinha computador já aos 10 anos, mas demorei a ter internet(comparando com pessoas da mesma idade morando em capitais) e só fui ao cinema em raras ocasiões na infância(vi Jurassic Park no cinema);
Pelo pai bancario, nos mudamos umas 3x entre meus 8 e 14 anos.
Sai de casa com 20 anos pra ir pra capital do estado, desde então pago minhas próprias contas.
Ja morei em 3 capitais de estado no Brasil.
Minha 1a viagem internacional foi em 2013, desde então fiz mais 5 viagens internacionais longas.
Ja perdi amigo idiota em troca de virar amigo da namorada dele que ele destratava, hoje é nossa amiga de coração.
Já perdi um grande amigo por EU ser babaca com ele, hoje nos falamos, mas nunca mais tivemos a mesma relação(é uma das razões por buscar ter mais empatia).
Quase morri atropelado por um ônibus, fui salvo por um anjo até hoje desconhecido pra mim.
Gosto de jogar, e tenho conseguido em média jogar quase todo dia, mantendo uma bom balanço dando atenção pra família e para o trabalho.
Tenho uma renda muito boa, mas como bom classe média brasileiro, vivo em voltas com bons e maus momentos financeiros(estou trabalhando para melhorar)
Já chorei por achar que nunca ia ter uma companheira, muito menos uma família.
Ask me anything
Acredito que abri varias possiveis tópicos, que posso com a tranquilidade do anonimato, responder qualquer coisa que queiram saber. Muito coisa devo ter esquecido de pontuar, fiquem a vontade para trazer qualquer assunto.
Como é balancear familia, casamento, jogar no pc e trabalhar? Consigo dormir?
O trabalho me realiza? Já demiti pessoas? Ja fui demitido?
Sexo 1 vez por mês ou todo dia? Rola orgasmo para os dois? fazemos anal?
Ja passei fome?
Qualquer pergunta está valendo, farei um o máximo possível para dar uma resposta verdadeira a respeito da minha vida, e com profundidade para realmente ajudar.
Regras
Vocês já sabem que no Brasil a única regra, é não há regras.
Bom, eu só peço para serem verdadeiros em suas perguntas. Pergunte algo que vai te ajudar.
Eu vou responder tudo, tudo mesmo. Mas ficarei muito feliz em saber que além de uma curiosidade sua, a pergunta esta relacionada a um problema, uma situação complicada e você precisa de um ponto de vista diferente, distante do teu cenário.
Fiquem bem!
submitted by Pleasant_Flow_6803 to desabafos [link] [comments]


2020.08.13 05:22 Na4te Enfim, apenas uma história que me marcou

Bom, eu tô afim de ouvir a opinião das pessoas a respeito desse acontecimento marcante na minha vida.
Diga oque você acha e oque talvez eu deveria ter feito.
É bom avisar q falo a respeito de sentimentos aqui, ADOLESCÊNCIA sabe como é né.
E como eu tenho vergonha de falar isso ao meus mais próximos eu conto a vocês.
Eu sempre fui uma pessoa avessa a relacionamentos, achava q nunca ia namorar ou me casar, Mas uma única pessoa me fez desejar isso.
Aos 8 anos de idade conheci uma garota que tinha tudo pra ser uma simples menina, apenas alguém que eu realmente esqueceria no futuro. Era uma menina beeem tímida e falava baixo, o único contato que tive com ela nesse ano foi apenas de ler e um texto junto com ela e nada mais.
Aos 10 anos reencontrei com ela novamente, porém nada de interessante ocorreu então, vamos pular alguns anos.
Depois de ter mudado de cidade e retornar aos 14, entrei em uma escola que nem queria por causa do meu primo, mas acabei gostando e por lá fiquei. A mesma garota estava lá nessa escola, continuava circunspecta e misteriosa. De vez em quando eu e ela trocávamos algumas palavras, mas nada de demais não chegavam nem a ser uma conversa.
Porém mais pro final do ano eu comecei a reparar muito bem nela, observava a maneira dela der ser oque me causou uma curiosidade.
Eu reparava que as vezes ela ficava me olhando discretamente, mas acho q era pq ela se sentia desconfortavel pelo fato de eu estar observando as vezes.( nada doentio)
Mas havia algo q só pensei depois, por exemplo, reparei que quando as pessoas apresentavam um trabalho ela normalmente não ligava, e ficava distraída com alguma coisa, mas quando eu ia apresentar ela prestava a atenção em mim, SÓ em mim.
Um ano depois aos 15, pouco depois das férias de julho.(agora que a merda aconteceu) Eu a vi sentada sozinha e fui falar com ela, afinal, eu a conhecia há anos e nem fazia ideia de quem ela era, só sabia o nome apenas. Conversamos durante umas 2h seguidas, com um papo muito irado que com certeza iria durar mais se tivéssemos tempo. Foi aí que eu reparei que todo aquele tempo havia uma garota incrível ali perto e nunca tinha "notado".
Eu senti algo que nunca havia sentido antes (paixão), eu passei a adimira-la apenas quando eu realmente descobri quem era aquela garota dos cabelos escuros e silenciosa.
Para a minha decepção, um amigo meu me disse " Eu quero tentar algo com a xxxxxxx!", e oque eu fiz? Nada! Apenas disse " Tenta! Ela é interessante." Eu notava uma possível reciprocidade( não sei se foi coisa da minha cabeça ), ela puxava assunto comigo coisa q não era comum dela fazer com outras pessoas, tinha uma coisa q eu fazia q ela odiava, mas relevava. Por vezes esse meu amigo estava tentando conversar com ela, mas não seu por que ele não conseguia, ela simplesmente ignorava ele e começava a conversar comigo.
(Esse meu amigo não sabe disso até hj)
E por fim, para não acabar com o "esquema" dele, eu me afastei dela com pesar no coração, mas me afastei. Acho q ela percebeu a minha distância e também resolveu deixar isso quieto. Mas o problema é que eu ainda continuava gostando dela, pra caralho. Observei que as vezes esse meu amigo tentava se aproximar, mas ela sempre recuava coisa q comigo não acontecia.
Também coloco parte dessa culpa em mim, afinal, se eu tivesse dito a ele oque queria talvez isso não teria acontecido , e também sempre fui muito tímido e reservado oq fez eu não falar nada pra ela oque realmente sentia.
Na verdade, acho q a culpa é toda minha!
Enfim, no final esse meu amigo desistiu dela e foi "caçar" outra pessoa, mas aí já era tarde demais pra mim. Eu não queria sair como o fura olho nem nada do tipo.
Quando ele já não queria mais nada, acho q ela já não sentia algo por mim ( se é que já chegou a sentir). Daí pra frente foi só ladeira a baixo, descobri coisas que me magoaram MUITO, acho q não é legal entrar em detalhes. E aos meus 16 anos minha mente e meus sentimentos estavam fodidos, e foi aí que eu saí daquela escola por motivos de trabalho mesmo, se não eu teria ficado. Mas algo que me atormentou bastante é que pouco tempo depois q eu saí eu vi ela colocando relacionamento sério com um garoto no Facebook, até hj não sei se foi brincadeira dos dois ou se foi real, mas aquilo doeu MUITO.
Hoje já se passaram mais de 1 ano e 2 meses que nem sequer vejo ela(por sorte ou por azar), mas eu ainda gosto dela, me sinto um otário por isso pq a maioria das pessoas q eu conheço supera algo do tipo em 3 meses ou no máximo 5.
Se tiver se perguntando, é... ela já sabe oque eu sentia , um boca aberta falou. Ela soube em fevereiro, desde então nem mensagem eu mandei mais.
Eu não sinto raiva dela, muito menos desse meu amigo. O único q eu realmente tive raiva foi de mim mesmo.
(Eu não me apaixonei por ela com apenas uma conversa, foram várias.) É bom dizer esse detalhe
Enfim, se você leu até aqui, caso queria opinar ou me dar um conselho fique a vontade. ;)
submitted by Na4te to desabafos [link] [comments]


2020.08.13 04:44 honey_green sou babaca por contar pra minha mãe que minha irmã estava traindo o namorado dela?

oi lubisco, turma, editores, gatas e possível web-convidado. aqui vai um pouco de contexto: minha irmã é 16 anos mais velha que eu, se casou pela primeira vez e saiu de casa com 20 anos e se separou 1 ano depois, ela começou a morar na casa da minha avó depois disso.
tudo começou quando eu tinha 8 anos e minha irmã começou a namorar o primo de uma amiga dela, vamos chamá-lo de "evan". ela costumava visitá-lo quase todo dia depois do trabalho e me levava junto para eu brincar com as sobrinhas de evan. a meninas eram bem legais, evan gostava muito de mim e a gente sempre tomava sorvete todos juntos. 2 anos se passaram e eles terminaram durante o são joão (até hoje não sei o motivo).
minha irmã então começou a namorar um outro cara completamente diferente de evan, tanto em questões financeiras, físicas e intelectuais. vamos chamá-lo de "naldo". naldo era apaixonado pela minha irmã de uma forma absurda, ele arrumou um apartamento pra ela sair da casa da minha avó e pagou os primeiros meses, comprou o ar-condicionado, tv e outros móveis pra ela. além de ter ajudado ela a conseguir a transferência dela para um hospital. ( ela é técnica de enfermagem e até então trabalhava em um posto perto da casa da minha avó). eu até gostava de naldo, por tratar minha irmã e respeitar ela mas ao mesmo tempo achava ele muito "estranho". sempre que eu mostrava algum desenho que eu havia feito, ele dizia que aquilo não daria futuro, além de caçoar das minhas primas por terem o sonho de serem bailarinas.
mas enfim, minha irmã gostava dele e isso bastava para minha família. no meu aniversário de 12 anos, reparei que minha irmã estava agindo de maneira estranha, sempre que falávamos sobre naldo, ela mudava de assunto, estava sempre escondedo seu celular e evitando usá-lo na nossa frente. mas eu resolvi ignorar, pois podia ser um assunto extremamente privado dela. pouquíssimos meses depois, ela começou a fazer comentários sarcásticos sobre naldo e dizendo que até teria um filho com por causa de suas boas condições financeiras, mas que jamais faria isso já que ele era "feio demais". ela também estava frequentando a praia quase todo dia e não queria quem ninguém fosse junto com ela.
não demorou muito para minha mãe ligar os pontos e entender o que estava acontecendo (evan era surfista, aliás). depois de algum tempo, ela disse que eu iria junto com minha irmã, somente para certificar de que ela não estivesse fazendo nada errado. descuti aqui, descuti ali, minha irmã disse que eu podia ir junto.
fomos a praia e no começo estava tudo normal, me divertir bastante, comemos bastante camarão e bebemos muita água de coco. na hora de ir embora, eu estava bem cansado e mal estava conseguindo me manter em pé, acabei pegando no sono dentro do carro. não sei por quanto tempo dormir mas quando acordei minha irmã não estava dentro do carro e estava tudo escuro, fiquei assutado e olhei pela janela para tentar identificar o local. talvez chocando 0 pessoas, vi minha irmã em um canto beijando alguém.
eu conhecia aquela silhueta, era evan. me abaixei com medo que me vissem e olhando o outro lado, vi que estávamos em um posto de gasolina. deitei de novo para pensar no o que fazer. foi quando eu escutei o carro destravar e no susto me encolhi. escutei o seguinte diálogo
— tem certeza de que ele não viu nada? —eu já te disse, coloquei uma coisinha na água de coco dele enquanto a gente tava na praia.
passei o caminho todo fingindo que estava dormindo e quando cheguei em casa continuava chocado.
meses foram se passando e quando percebi já havia passado 1 ano desde o ocorrido. e aquilo estava me consumindo. minha mãe reparou o meu comportamento e ficava me perguntando qual era o problema e eu sempre respondendo que era nada. até que eu não aguentei mais e acabei desabando de chorar no colo da minha minha mãe e contando tudo ( menos a parte da "coisinha" na minha água de coco).
minha mãe conversou com minha irmã e depois disso ela terminou com o naldo. atualmente tenho 14 anos e ela está noiva do evan. foi isso, beijocas e xauzinho✌️😗
submitted by honey_green to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.11 02:28 Matilde_pinto22 O dia em que fui expulsa "por causa do Luba"

Oi luba e toda a gente que estiver com o Luba, Bem hoje eu vou contar a história de como eu fui expulsa de casa "por causa do Luba".
O meu nome é Alice e tenho 14 anos. Bem em um dia eu e o meu irmão mais novo fomos passar as férias na casa do meu pai, tudo correu normal a viagem correu bem e não tivemos nenhuma discussão pelo caminho(normalmente eu e o meu pai discutimos muito), eu não estava nem um pouco feliz em ir de férias com ele, porque o meu pai é aquele tipo de pessoa que parece que ainda vive nos tempos dos antigos, machista, racista, homofóbico... Bem eu uns 3 dias depois estava na sala a ver o Luba na Televisão, Foi quando o meu pai entrou e quando viu que o que eu estava a ver ficou furioso(ele sabe que o Luba é gay), ele começou a dizer que gente como ele ia arder no inferno e que nem deveriam existir, naquele momento não liguei e ignorei-o, mas em seguida ele disse "ai de mim ter um filho homssexual que nojo que eu teria". eu levantei e disse "pai podes por favor parar com as tuas merdas, pelo amor de Deus estamos em 2020, isso é uma coisa normal". No momento ele não entendeu porque fiquei tão chateada e perguntou o que eu queria dizer com aquilo, Eu disse-lhe que eu era Polissexual e que estava a namorar com um rapaz e uma menina. Ele bateu na minha cara e disse "estou muito desiludido contigo" e foi embora para o meu quarto, eu comecei a chorar muito e alguns minutos depois ele apareceu com a minha mala cheia de roupas e com algum dinheiro para eu pagar o bilhete de autocarro(ônibus) e com o meu irmão a chorar desesperado eu disse que depois das férias ele e eu estavamos juntos outra vez e que não precisava preocuoar-se comigo que eu estava bem. Quando eu comprei o bilhete para ir para casa eu liguei á minha mãe desesperada a pedir para me deixar ficar com ela e com o meu padrasto e expliquei-lhe o que tinha acontecido, cheguei a casa muito triste por o meu pai ter feito aquilo. Desde esse dia eu não falo com ele (já passaram 3 anos) mas a minha mãe, o meu padrasto e os meus irmãos sempre me apoiaram e orgulhavam-se muito de mim eu estava muito feliz e percebi que não precisava de um pai como ele para ser feliz, mas semana passada ele contactou-me, ele descobriu que eu ganhei uma competição de corridas de cavalos e ganhei 10.000 euros(deve ter falado com a minha prima que era a única com eu falava da família da parte paterna) e pediu desculpa. Eu disse"Desculpa António mas tu já não és o meu pai, tu deixas-te de o ser quando me expulsas-te da tua casa" Ele ficou muito revoltado e começou agritar comigo dizendo coisas como"eu sou teu pai divias partilhar o que tu ganhas comigo" Ou "se eu não receber pelo menos 6.000 euros podes cortar os laços familiares com a minha família".eu disse que já o tinha feito á muito e que ele nunca iria receber um tostão que seja meu. Também deixei bem claro "estou muito feliz agora sem ti, o Afonso(meu padrasto) é um pai incrível sabias muito melhor do que tu alguma vez foste, então por favor diz aos meus avós que os amo muito e se quiserem falar comigo que me liguem mas a ti eu não te devo nada" Eu continuo a falar com a minha prima e os meus avós mas os meus tios recusam falar comigo. Eu nunca mais falei com ele, mas também nunca estive tão feliz como estou agora.
submitted by Matilde_pinto22 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.08 08:17 Peixefaca Serei o babaca por cortar relações com o meu pai?

Irei começar desde o início, ou seja, desde a infância do meu pai para contar as coisas por ordem cronológica e também contar os dois lados.
O meu pai foi o último de 6 irmãos, isto nos anos 70 que em Portugal foi durante a ditadura. A vida nunca foi muito fácil para a família. No aniversário do meu avô, ele tinha ido ao centro da cidade para comprar bilhetes da seleção de futebol da localidade... o meu avô foi de bicicleta e um bêbado a conduzir, atropelou-o e o meu avô faleceu. O meu pai tinha somente 3 anos, uma mulher com 6 filhos para cuidar sozinha nos anos 70. O meu pai nunca teve um pai propriamente dito porém o meu tio mais velho foi a figura paternal do meu pai e da família, era ele que trabalhava para sustentar a casa, era ele que batia nos meus outros tios quando eram apanhados a fumar e etc. Quando o meu pai tinha 14 anos, o meu tio (com 23, creio) suicidou-se de uma linha de comboio/trem. O meu pai nunca teve uma figura paternal desde então. Depois disso, vários dos meus tios, sem supervisão parental, começaram a consumir drogas e isso inclui o meu pai que aos 14 também, largou os estudos para ir trabalhar. Passaram-se alguns anos e ele mudou o rumo. Largou as drogas, andou numa clínica de reabilitação e arranjou um emprego, nuns anos avante, ele conheceu a minha mãe e aqui estou eu.
Agora que apresentei a história dele, passemos à minha. O meu pai sempre foi bastante ausente, quando eu era criança ele chegava sempre cansado e mal estávamos tempo juntos, ele gritava quando eu cobrava a atenção dele e nunca tivemos uma ligação forte, dado que ele não prestava o mínimo de atenção à família porque achava que sustentar financeiramente era o suficiente. Com os meus 6 anos, o meu irmão nasceu e o meu pai ausentou da mesma maneira. Passou-se um ano e os meus pais separaram-se, a minha mãe foi muito forte porque o meu pai virou grande parte do círculo social dela contra ela, e ainda tinha que sustentar dois filhos! Passaram-se 3 anos e eles resolveram os desentendimentos e juntaram-se. Vale realçar que esses 3 anos eu senti-me livre de medo, o meu pai sempre gritava e intimidava. A minha irmã nasceu e o meu pai não aprendeu nada... Agora, irei realçar pontos importantes para prosseguir a história: o meu pai sempre me deu uma educação machista: mulheres não podem usar roupa curta, gays são doentes e Deus é tudo, obrigava-me a ir na igreja e diminuia-me à frente da família e amigos. O meu pai normaliza bastante assédio, pratica-o e deixei de sair com ele porque não queria ser visto como igual. Por grande parte da minha vida eu fui homofobico e machista, eu fazia "piadas" com meninas que as deixavam mal, até hoje culpo o meu pai, pois eu era uma criança na altura. Por causa dessa inferiorização, virei uma criança tímida e cheia de medo dd ser julgado, atualmente ainda me causa alguns transtornos mentais. Aos meus 14 anos, fui diagnosticado com cancro (linfoma) no último estágio com metástases nos ossos e a se iniciarem nos pulmões. Foram meses muito duros, tive que ficar fechado em casa por 6 meses (é pessoal, essa quarentena é meio leve pra mim) porque eu tinha a imunidade super baixa; na altura eu não tinha nada com que me entreter e queria jogar com amigos meus, achei boa ideia conversar com os meus pais em comprar um pc gamer, a minha mãe hesitou mas o meu pai começou a gritar e chamar-me de ingrato, levantou-me mão e empurrou-me pra trás. Não basta dizer que passei o resto da quimioterapia isolado, né? Depois disso este tipo de discussões foi mais habitual porque desde aí que comecei a me revoltar. Depois dos tratamentos terminarem (sim pessoal, até hoje estou bem :3) decidi dar um novo rumo à minha vida, nos estudos e etc. Mas ele provocava-me sempre e ele tentava me bater. Houve uma vez que a minha mãe se colocou na frente para não me bater e ele complementa empurrou-a. Desde aí decidi não usar mais o nome do meu pai na identificação, só o da minha mãe. Há um tempo considerável que conheci uma menina incrível, começámos a namorar e escondi por bastante tempo por causa da minha família porque eu tinha a certeza que o meu pai iria usar o namoro para me atacar. O inevitável aconteceu, ele soube e veio dar uma de "pai" a dar conselhos de namoro como: "nunca a deixes ter poder", "tu és o dono da relação ", "não deves te importar como ela se sente, pois ela vai te usar". Mais tarde, numa discussão que já nos é habitual, ele disse "vou destruir o teu namoro", "nem sei como ela namora contigo". É por este tipo de coisas que ocultei o namoro. No meu aniversário, a minha namorada deu-me um livro personalizado com todas as nossas memórias, foi bastante caro (amor, se estiveres a ver isto, peço desculpa por ter visto o preço <3). O meu irmão estava a bater na minha irmã enquanto ela chorava baba e ranho, o meu pai ficou no sofá a ouvir aquilo sem fazer nada (a minha mãe tinha saído). Fui lá e comecei a discutir com o meu irmão, ele foi buscar o livro que o meu amor me deu e rasgou-o. Aquilo destroçou-me. O meu pai chegou e começou a rir, colocou as culpas em mim e falei na cara que era um pai de merda, que mais valia eu não ter nascido dele e que por mim ele iria embora. O prólogo não interessa, foi o habitual. Planeio cortar relações com ele quando eu fizer os 18.
Na minha opinião não o consigo culpar, pois ele não teve educação mas não sou obrigado a ter a vida destruída por causa dele. Serei um babaca por cortar relações com ele?
submitted by Peixefaca to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.29 20:42 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

(Postei primeiro no desabafos, mas resolvi postar aqui também)
O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.
Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.
A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.
A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha
Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to sexualidade [link] [comments]


2020.07.29 20:24 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.

Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.

A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.

A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha

Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 06:22 needplastic Sou insuficiente e isso está me destruindo. (Talvez eu me mate, quem sabe?)

Tá, existem várias coisas fodidas que podem acontecer com alguém, ser feio não é NADA, mas isso está acabando comigo.
Tenho 22 anos, sou bv, virgem, nunca tive um encontro na vida, ninguém nunca se apaixonou por mim, nenhum cara nunca se interessou por mim.
Eu não ligaria pra nada disso se houvesse algo de positivo no resto da minha vida além disso, mas não tem nada.
Desde meus 3 anos que já morei com 4 pessoas diferentes, em 4 casas diferentes, e no fim das contas nenhuma delas é meu lar, eu não tenho mãe, não tenho casa, não tenho um porto seguro no mundo.
Atualmente moro com a minha avó que é bem idosa, o intuito é que eu cuide dela... mas é difícil, tendo em conta que ela me odeia, me cobra, me humilha e inventa mentiras sobre mim para o resto da família (ela já disse pra minha tia que eu bati nela, sendo que eu nunca encostei nela e eu nem teria força pra isso, apesar de idosa ela é gordinha e é mais forte que eu, sou pequena e meus braços são fracos, nem garrafa de água eu abro com facilidade, às vezes nem sequer consigo abrir).
Minha memória é ruim, não lembro das coisas que aconteceram antes, a maioria das coisas é o que me contam, mas tem bastante tempo que moro aqui, no mínimo 6 anos. E foram 6 anos sendo inferiorizada por ela, às vezes ela fica uns 3 meses sem fazer nada de ruim, mas ela SEMPRE volta a fazer.
Na escola eu sofria bullying, sou feia e minha infância maluca me fez ser meio antissocial, então somando esses fatos = bullying, acho até que era merecido pois eu não me arrumava pro colégio nem nada do tipo, eu era bem gordinha também e adolescente gosta de zoar isso.
Na internet era o oposto, eu que avacalhava todo mundo, era uma forma de deixar sair todo sentimento ruim que tenho.
Estou me formando na faculdade esse ano. Nunca estudei, tenho algum problema de concentração eu acho, só sei que não estudo e nem tenho ambição profissional.
Esse ano comecei a namorar, é pela internet então eu só mando fotos boas, em bons ângulos, com algumas edições... às vezes ele fala que me acha bonita, mas sempre que ele elogia outra garota e eu pesquiso o nome dela pra ver a aparência, eu sempre me sinto triste porque são mulheres muito muito muito mais bonitas do que eu, não chego nem aos pés.
2021 é o ano decisivo. Ou eu vou ir pra cidade dele sem nenhum parente meu saber meu endereço (eu juntei um pouquinho de dinheiro, o suficiente pra pagar uns 3 meses de aluguel apenas, nada mais). Mas, o medo de decepcionar ele ou de tudo dar errado está me fazendo desistir, então tem a outra opção...
Ou eu me mato.
Cansei de viver aqui nessa casa, cansei de ser horrível, cansei de ser chata, minha presença é insuportável até pra mim mesma. Não aguento me sentir a mesma menina de 16 anos, que não tirava foto e usava fake no facebook/orkut, sou burra, não aprendo nada da escola nem da faculdade.
Nem era pra eu existir, entende? Viver sabendo que sua existência foi um erro... é diferente, a sensação é diferente.
E eu não tenho vício em tristeza, eu amo gente feliz, amo os pequenos momentos de alegria que tenho às vezes.
Tem alguns motivos que fizeram com que eu não me matasse ainda: plásticas.
É, eu penso em fazer várias plásticas, emagrecer mais, definir o corpo um bocado. Mas eu precisaria de pelo menos 14 mil reais pra essas plásticas e as chances de eu conseguir isso antes de me mudar (pro meu namorado nunca ver os defeitos da minha cara) são bem baixas, eu fiz vários bicos pra juntar a quantia que tenho para os alugueis, mas isso demorou muito.
Morrer é mais fácil, mas existe o medo por ser uma decisão definitiva e não saber o que me aguarda.
Eu vou pro inferno, sabe? Sofri aqui, pra depois ir sofrer no pós-vida, Deus é amor, mas acho Deus cruel.
Se alguém ler isso algum dia toca aqui \o
submitted by needplastic to desabafos [link] [comments]


2020.07.25 03:22 Ghostin_suggoi A xereta do whatsapp (n tenho criatividade para criar nomes, ent fiquem com isso)

Olá Luba, editores, gatas, papelões ainda vivos e turma que está a lever. Bem, la estava eu com meus 14 anos, havia me recém descoberto pansexual (apesar de atualmente ter muitas dúvidas sobre isso), estava lá na escola nova, estava conseguindo me entrosar com as outras pessoas. Nessa escola já havia pessoas da minha outra escola, consequentemente ja conhecia algumas pessoas. Dessas pessoas que já conhecia (vou chamá-lo de Richard) havia Richard. Richard já tinha estudado comigo por 2 anos e agora nessa escola nova, nunca parei para conversar com ele para se conhecermos mais a fundo. A escola tinha um "tema" de ensinar os alunos a serem "protagonista" e a direção tinha um projeto de colocar determinados alunos para supervisionar outros alunos no RECREIO (a escola era integral e tinha 3 recreios então provavelmente vou falar de mais um recreio). Somente os líderes e os vice (não sei se tem isso nas outras escolas, mas é tipo os representantes da turma) eram os supervisores, e adivinha? eu era vice e o Richard era líder, isso abriu várias possibilidades de conhecer melhor ele, o porque disso é bem simples. Além de passar 3 intervalos fazendo essa supervisão no recreio, nós tinhamos pequenas reuniões, onde na qual quando acabavam nós íamos mais cedo merendaalmoçar doq os outros alunos. Depois de um tempo, nós começamos a se conhecer melhor e eventualmente trocar o famoso zap zopti (???) um do outro. Conversa vem e conversa vai, (claro alguns dias se passaram) eu disse q qria conversar com ele, porém ele disse q estava mt ocupado e que qnd chegasse em casa dava certo. Ao chegar em casa a primeira coisa que eu fiz foi ir falar com ele para se declarar (nunca tive tantos problemas com isso), e eu disse que n qria somente amizade queria algo a mais, e por alguma sorte do destino ele disse q sentia a msm coisa por mim, enfim, comecei a namorar a escondido com ele, (dos meus pais) sempre foi uma coisa mt aberta com meus amigos e consequentemente acabou q nos primeiros dias de namoro, a escola toda ja sabia q eu namorava. Estava indo tudo muito bem, mas alegria de pobre dura pouco, e realmente dura mt pouco. Certo dia estava lá eu na escola tudo ocorrendo normal até eu chegar em casa. Quando chego, rolou o seguinte diálogo com meu pai (um homem estupidamente homofóbico, mas isso não vem o caso agora): - O que foi que aconteceu? - Nada? - Pq sua mãe ta la no quarto chorando? Eu tinha ficado em dúvida, até ir la no quarto da mesma. E vi uma das cenas mais traumatizantes que ja tinha acontecido na minha vida: Minha mãe chorando, com a camisa toda molhada de provavelmente lágrimas, e com os olhos inchados (oq provavelmente ela ja estava ali chorando por algum tempo). Eu estava por incrível que pareça muito calmo (até hoje não sei como) e calmamente perguntei - Mãe oq foi que aconteceu? Eu fiz essa pergunta por mais/menos umas 5 vezes, até ela fazer a simples pergunta: - Porquê? - Porque o que? (minha mãe me entrega o celular na conversa com Richard) Eu fiquei meio espantado, porém tentando manter a calma pelo seu belo histórico de pegar meu celular escondido para ler minhas conversas. - Então eu ja venho querendo falar isso com a senhora a algum tempo... Eu não sou hétero (tive que explicar para ela o q era ser hétero), mas pansexual (tmb tive q explicar para ela oq era). - Como você pode esconder isso de mim? Nós éramos tão próximos... Isso com certeza foi influencia dos seus amigos. (eu não queria prolongar muito pq ja sabia que ela não iria entender logo de começo) - Mãe, eu não me sinto confortável com a senhora falando dessa maneira... - POR QUE VOCÊ NÃO ME CONTOU? - Por causa disso mesmo, mas enfim, não estou entendendo o pq da senhora estar chorando desse jeito por uma coisa como essas, isso não é nada de errado (pra ela sim pq ela é típica mãe religiosa, e tudo que não seja de acordo com a bíblia está errado). Depois de um tempo eu disse que não queria q ela contasse para o meu pai, pelo motivo dele ser preconceituoso para caralho. Ela concordou, porém alguns dias depois ela disse ESCONDIDO de mim sobre a minha sexualidade, tipo, vcs podem até estar achando errado eu pedir para esconder isso do meu pai, mas vcs não sabe o quanto ele ja me criticou por isso. Quando cheguei em casa ele ja estava com raiva e me perguntou (gritando pq ele não sabe falar baixo) - NÃO TINHA MULHER PRA BEIJAR NÃO NAQUELE BANDO DE VAGABUNDOS DA SUA ESCOLA? Eu simplesmente não respondi pq não adiantaria, ele tem 67 anos, logo tudo que eu falasse ia ser totalmente anulado. Bem, até hoje (isso tudo aconteceu antes da pandemia, no início do ano), não tocamos muito nesse assunto e o meu pai somente caga pelo fato de mim beijar homens. Então lubixco (provavelmente ele n vai ler isso, mas não vale nada sonhar kkk), e pessoas que leram até aqui essa foi minha história. Tenho somente uma dúvida (tanto para o luba e tanto para quem está lendo): É capaz de uma pessoa parar de se atrair por um sexo e começar a se atrair por outro? Eu estou nisso ja faz um tempo e não sei o pq. Até 2 anos atrás gostava de uma menina, q eu gostava mt e ela n sentia nd por mim. Atualmente não consigo sentir nd pelo meu sexo oposto, agradeceria mt se algm pudesse me explicar ou dizer se passa por algo parecido. Então é isso bye.
submitted by Ghostin_suggoi to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.20 23:37 MayCorrea Quis me expulsar de casa, me proibiu de namorar uma pessoa que eu amava, tentou me obrigar a mudar meu depoimento na polícia e agora diz que caso eu não aceite a nova "esposa" que pretende arrumar, não amo ele, e que eu tenho que inclusive estar no casamento e "gostar" da pessoa

Oi, estou escrevendo isso tudo em português pois sou do Brasil, e como o texto é grande, daria muito trabalho escrever e corrigir em outra língua... Acho que é uma fusão de "pais intitulados" com "eu sou o babaca?" o que vou escrever, com um acréscimo de chantagem emocional e toxicidade... Me desculpem pelo texto gigante, mas eu realmente preciso desabafar, e como não tenho como ir na terapia até semana que vem, acho que preciso colocar tudo isso pra fora de alguma forma senão vou ficar maluca...
Eu tenho 18 anos atualmente, e como contei em um post no TurmaFeira que teve pouco alcance, no inicio do ano passado acabei tendo de mudar de escola por conta de uma amante do meu pai que por algum motivo maluco resolveu dar aula na escola perto da minha casa na mesma semana em que eu me matriculei (suspeitosamente específico ser logo lá, não?) , tive uma crise de ansiedade (coisa que meu pai nunca ligou, e ainda me culpa toda vez que acontece)... Pouco depois disso, eu comecei a namorar (estamos noivos atualmente, mesmo com tudo que aconteceu) e desde o inicio meu pai tentava apressar o relacionamento, tentando me fazer levar ele na nossa casa com poucas semanas que tínhamos nos conhecido e etc... Tanto eu quanto meu namorado curtíamos sado, porém um dia acabou saindo um pouco fora do calculado e eu terminei com uma veia estourada no olho... Mesmo eu explicando a situação, em momento nenhum meus pais quiseram me ouvir, e me obrigaram a abrir um boletim de ocorrência contra esse namorado (vou chamar de carls pra facilitar), e quando viram que tudo que falei não era contra ele, tentaram me fazer mudar esse depoimento e ameaçaram inclusive me declarar incapaz para que eles mesmos mudassem esse depoimento...
(Quero deixar claro antes de tudo, que eu não iria defender ele nunca se ele fosse um namorado abusivo, vivi relações abusivas já e saí delas justamente por serem abusivas. O ponto é que além disso tudo, eu e ele sabemos que o que aconteceu foi erro dos dois, imaturidade e inexperiência... Ele sempre me respeitou e me tratou super bem, mas ninguém da minha família quis me ouvir...)
Quando, a uns 3 meses, contei que estava com ele, e que realmente queria esse relacionamento, e pedi pra que eles aceitassem pelo menos uma conversa, não quiseram me ouvir, ameaçaram de me expulsar de casa só com a roupa do corpo, e quando e disse que iria, disseram que como eu ainda não era maior, teria que acatar o que eles quisessem, então eu não poderia ir e que ele iria mandar matar o carls... Mesmo depois de os ânimos acalmarem, quando souberam que ele tinha vindo me ver no bairro, e que umas amigas me ajudaram a encontrar com ele, e meu pai mais uma vez me bateu e foi atrás dele, mas acabou desencontrando e se resumindo em ele e a minha sogra trocando farpas. Sempre disseram que era pro meu bem... Porém acho que pelo menos alguém concorda que fazer esse tipo de joguinho emocional a base de ameaças com a filha depressiva e com transtorno de ansiedade é qualquer coisa menos saudável... Até hoje quando tento conversar sobre minha mãe fala que ela pode "levar essa culpa pro caixão", mas que nunca vai pisar na minha casa quando eu me casar com o carls, e meu pai até então dizia o mesmo, que não iriam me ver e nem dar o mínimo apoio financeiro, porque sou mal agradecia e etc... Que eu ainda seria bem vinda aqui e os possíveis filhos também, mas que ele nunca... Ok, eles estão no direito deles, certo? Guarde isso pra daqui a pouco.
Bom, semanas atrás eu comecei a desconfiar que meu pai estava traindo a minha mãe mais uma vez, e acabei olhando o celular dele (sei que vão me xingar mas escutem antes por favor) onde eu vi várias coisas, incluindo com mulheres casadas e até uma prima que ele jurou não ter nada, registros de motel e etc... E o ponto é que ele nunca me deixou falar quando se sentiu ameaçado, e desde então decidi tratar com ele por escrito ou com provas sempre que a situação é mais complexa... Então imprimi tudo e coloquei em um envelope dentro da bolsa dele (ele trabalha em outra cidade e vem nos fins de semana... bom, agora só a cada 15 dias...) com mais algumas coisas que escrevi pedindo ele que me ouvisse e inclusive aceitasse se tratar porque isso não é normal, ele mesmo já disse que é doença.
No dia seguinte, ele leu e ligou me ameaçando, dizendo que eu não mereço o amor dele, o respeito dele e nem nada, que eu sou a pior pessoa do universo e me ameaçou mais quando eu disse que iria enviar aquelas fotos pras pessoas em questão por conta da raiva e da decepção... Ele já tem duas filhas fora do casamento e sempre falou que tinha orgulho de mim, mas pra justificar o motivo de não se divorciar pras outras mulheres, falava que eu sou demente e maluca, que faço tratamentos pesados e etc... E eu aproveitei esse dia pra colocar pra fora tudo que eu precisava colocar, ele só ia voltar 10 dias depois, pro meu aniversário, então ele não teria como me bater e nem falar nada comigo até lá.
Nesse meio tempo a minha avó, mãe dele, foi internada com Covid em estado muito grave, e está intubada na UTI até hoje... Por conta disso, essa briga toda foi deixada de lado por uns dias. Ele chegou na quarta, e meu aniversário de 18 anos seria na sexta.
No dia do meu aniversário, meu pai tentou puxar o assunto mas eu pedi que pelo menos esse problema ficasse pro outro dia. No sábado de manhã, disse que sairia de casa e entre diversas outras coisas, que ainda gostava da professora que citei no post anterior e no inicio desse, e que estava sim conversando com ela. Minha mãe não quer aceitar a separação, e me pediu ajuda para convencer ele a mudar e continuar em casa, e eu juro, eu fiz de tudo, mas sempre que não falo com ele o que ela quer e como ela quer, ela fica com raiva, grita comigo, me xinga e fala que eu estou contra ela... E ele, quando eu falo, diz que não amo ele o suficiente, que eu sou parcial e só defendo a minha mãe, e que ele sempre foi o melhor pai do mundo mas eu nunca dei carinho e atenção, quando na verdade, ele nem sai do telefone ou tv quando vou falar com ele, e geralmente responde com "hmm" ou "ah".
Dois dias atrás ele me ligou pelo número da minha mãe (eles me proibiram de ter whatsapp, celular e de ter acesso a qualquer outra rede social, mal sabem que posto aqui no reddit), e junto com uma enxurrada de chantagem emocional, ele disse que se eu me casar com o carls ele vai dar um esporro, mas que vai amar ele como um filho se ver que ele está sendo bom pra mim (coisa que ele até poucos dias jurava ser impossível) e que se eu não aceitasse a nova esposa dele, isso provaria que meu amor é condicional mesmo que a esposa em questão fosse uma amante (a professora ou uma maluca que ja citei, que me ameaçou de morte e ele não fez absolutamente nada, ela saiu de são paulo e veio para minas atrás de mim quando eu tinha 14 anos)...
Hoje eu liguei pra ele contando que acho que consigo entrar pra medicina com bolsa pelo prouni... e ele começou a me xingar sem necessidade... Quando reclamei, ele puxou esse assunto, e insistiu que se eu não aceitasse eu não mereço o amor dele, entre outras coisas... E enquanto isso minha mãe estava do lado, digitando tudo que ela queria que eu dissesse, como queria, e até a hora que queria... Senti uma fincada na barriga na hora, não sei o porque, e as vistas chegaram a escurecer... e mesmo assim os dois continuaram buzinando na minha orelha e chegou num momento que até levei um tapa por não ter falado o que a minha mãe queria, e pedido pra esperar um pouco.
Em resumo, a briga dele foi para me convencer que tenho que aceitar, e inclusive estar no casamento dele e conviver com a pessoa mesmo que seja a professora em questão... E que se eu não fizer isso meu amor é condicional, mas que quanto ao casamento com o carls, eles estão completamente no direito de escolher se querem ou não conviver com ele, e que isso não é um tipo de amor condicional...
Eu realmente não sei o que fazer quanto a isso... mas atualizo vocês, caso tenham interesse, com os próximos capítulos dessa novela mexicana com enredo ruim que tenho vivido.
Obrigada por ter lido esse "testamento", e sintam-se livres para julgar a história nos comentários...
submitted by MayCorrea to EntiltedParents [link] [comments]


2020.07.20 06:21 MayCorrea Quis me expulsar de casa por namorar alguém que me machucou sem querer, disse que iria me obrigar a mudar meu depoimento, que nunca iria aceitar meu relacionamento e agora quer me obrigar a aceitar a relação dele com a amante que ele tem, e que inclusive eu vá no casamento e "goste" da pessoa

Hola turma que está a ler , e hey Luba-Luna-Luno, caso chegue a ler isso, tudo bom? Acho que é uma fusão de "pais intitulados" com "eu sou o babaca?" o que vou escrever, com um acréscimo de chantagem emocional e toxicidade... Me desculpem pelo texto gigante, mas eu realmente preciso desabafar, e como não tenho como ir na terapia até semana que vem, acho que preciso colocar tudo isso pra fora de alguma forma senão vou ficar maluca...
Eu tenho 18 anos atualmente, e como contei em um post anterior que teve pouco alcance, no inicio do ano passado, acabei tendo de mudar de escola por conta de uma amante do meu pai que por algum motivo maluco resolveu dar aula na escola perto da minha casa na mesma semana em que eu me matriculei (suspeitosamente específico ser logo lá, não?) , tive uma crise de ansiedade (coisa q meu pai nunca ligou, e ainda me culpa toda vez que acontece)... Pouco depois disso, eu comecei a namorar (estamos noivos atualmente, mesmo com tudo que aconteceu) e desde o inicio meu pai tentava apressar o relacionamento, tentando me fazer levar ele na nossa casa com poucas semanas que tínhamos nos conhecido e etc... Tanto eu quanto meu namorado curtíamos sado, porém um dia acabou saindo um pouco fora do calculado e eu terminei com uma veia estourada no olho... Mesmo eu explicando a situação, em momento nenhum meus pais quiseram me ouvir, e me obrigaram a abrir um boletim de ocorrência contra esse namorado (vou chamar de carls pra facilitar), e quando viram que tudo que falei não era contra ele, tentaram me fazer mudar esse depoimento e ameaçaram inclusive me declarar incapaz para que eles mudassem esse depoimento...
Quero deixar claro antes de tudo, que eu não iria defender ele nunca se ele fosse um namorado abusivo, vivi relações abusivas já e saí delas justamente por serem abusivas. O ponto é que além disso tudo eu e ele sabemos que o que aconteceu foi erro dos dois, imaturidade e inexperiência... Ele sempre me respeitou e me tratou super bem, mas ninguém da minha família quis me ouvir...
Quando, a uns 3 meses, contei que estava com ele, e que realmente queria esse relacionamento, e pedi pra que eles aceitassem pelo menos uma conversa, não quiseram me ouvir, ameaçaram de me expulsar de casa só com a roupa do corpo, e quando e disse que iria, disseram que como eu ainda não era maior, teria que acatar o que eles quisessem, então eu não poderia ir e que ele iria mandar matar o carls... Mesmo depois de os ânimos acalmarem, quando souberam que ele tinha vindo me ver no bairro, e que umas amigas me ajudaram a encontrar com ele, meu pai mais uma vez me bateu e foi atrás dele, mas acabou desencontrando e se resumindo em ele e a minha sogra trocando farpas. Sempre disseram que era pro meu bem... Porém acho que pelo menos alguém concorda que fazer esse tipo de joguinho emocional a base de ameaças com a filha depressiva e com transtorno de ansiedade é qualquer coisa menos saudável... Até hoje quando tento conversar sobre minha mãe fala que ela pode "levar essa culpa pro caixão", mas que nunca vai pisar na minha casa quando eu me casar com o carls, e meu pai até então dizia o mesmo, que não iriam me ver e nem dar o mínimo apoio financeiro, porque sou mal agradecida e etc... Que eu ainda seria bem vinda aqui e os possíveis filhos também, mas que ele nunca... Ok, eles estão no direito deles, certo? Guarde isso pra daqui a pouco.
Bom, semanas atrás eu comecei a desconfiar que meu pai estava traindo a minha mãe mais uma vez, e acabei olhando o celular dele (sei que vão me xingar mas escutem antes por favor) onde eu vi várias coisas, incluindo com mulheres casadas e até uma prima que ele jurou não ter nada, registros de motel e etc... E o ponto é que ele nunca me deixou falar quando se sentiu ameaçado, e desde então decidi tratar com ele por escrito ou com provas sempre que a situação é mais complexa... Então imprimi tudo e coloquei em um envelope dentro da bolsa dele (ele trabalha em outra cidade e vem nos fins de semana... bom, agora só a cada 15 dias...) com mais algumas coisas que escrevi pedindo ele que me ouvisse e inclusive aceitasse se tratar porque isso não é normal, ele mesmo já disse que é doença.
No dia seguinte, ele leu e ligou me ameaçando, dizendo que eu não mereço o amor dele, o respeito dele e nem nada, que eu sou a pior pessoa do universo e me ameaçou mais quando eu disse que iria enviar aquelas fotos pras pessoas em questão por conta da raiva e da decepção... Ele já tem duas filhas fora do casamento e sempre falou que tinha orgulho de mim, mas pra justificar o motivo de não se divorciar pras outras mulheres, falava que eu sou demente e maluca, que faço tratamentos pesados e etc... E eu aproveitei esse dia pra colocar pra fora tudo que eu precisava colocar, ele só ia voltar 10 dias depois, pro meu aniversário, então ele não teria como me bater e nem falar nada comigo até lá.
Nesse meio tempo a minha avó, mãe dele, foi internada com Covid em estado muito grave, e está intubada na UTI até hoje... Por conta disso, essa briga toda foi deixada de lado por uns dias. Ele chegou na quarta, e meu aniversário de 18 anos seria na sexta.
No dia do meu aniversário, meu pai tentou puxar o assunto mas eu pedi que pelo menos esse problema ficasse pro outro dia. No sábado de manhã, disse que sairia de casa e entre diversas outras coisas, que ainda gostava da professora que citei no post anterior e no inicio desse, e que estava sim conversando com ela. Minha mãe não quer aceitar a separação, e me pediu ajuda para convencer ele a mudar e continuar em casa, e eu juro, eu fiz de tudo, mas sempre que não falo com ele o que ela quer e como ela quer, ela fica com raiva, grita comigo, me xinga e fala que eu estou contra ela... E ele, quando eu falo, diz que não amo ele o suficiente, que eu sou parcial e só defendo a minha mãe, e que ele sempre foi o melhor pai do mundo mas eu nunca dei carinho e atenção, quando na verdade, ele nem sai do telefone ou tv quando vou falar com ele, e geralmente responde com "hmm" ou "ah".
Dois dias atrás ele me ligou pelo número da minha mãe (eles me proibiram de ter whatsapp, celular e de ter acesso a qualquer outra rede social, mal sabem que posto aqui no reddit), e junto com uma enxurrada de chantagem emocional, ele disse que se eu me casar com o carls ele vai dar um esporro, mas que vai amar ele como um filho se ver que ele está sendo bom pra mim (coisa que ele até poucos dias jurava ser impossível) e que se eu não aceitasse a nova esposa dele, isso provaria que meu amor é condicional mesmo que a esposa em questão fosse uma amante (a professora ou uma maluca que ja citei, que me ameaçou de morte e ele não fez absolutamente nada, ela saiu de são paulo e veio para minas atrás de mim quando eu tinha 14 anos)...
Hoje eu liguei pra ele contando que acho que consigo entrar pra medicina com bolsa pelo prouni... e ele começou a me xingar sem necessidade... Quando reclamei, ele puxou esse assunto, e insistiu que se eu não aceitasse eu não mereço o amor dele, entre outras coisas... E enquanto isso minha mãe estava do lado, digitando tudo que ela queria que eu dissesse, como queria, e até a hora que queria... Senti uma fincada na barriga na hora, não sei o porque, e as vistas chegaram a escurecer... e mesmo assim os dois continuaram buzinando na minha orelha e chegou num momento que até levei um tapa por não ter falado o que a minha mãe queria, e pedido pra esperar um pouco.
Em resumo, a briga dele foi para me convencer que tenho que aceitar, e inclusive estar no casamento dele e conviver com a pessoa mesmo que seja a professora em questão... E que se eu não fizer isso meu amor é condicional, mas que quanto ao casamento com o carls, eles estão completamente no direito de escolher se querem ou não conviver com ele, e que isso não é um tipo de amor condicional...
Eu realmente não sei o que fazer quanto a isso... mas atualizo vocês, caso tenham interesse, com os próximos capítulos dessa novela mexicana com enredo ruim que tenho vivido.
Obrigada por ter lido esse testamento, e sintam-se livres para julgar a história nos comentários...
Bye chat e bjs de minas :v <3
submitted by MayCorrea to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 22:01 vivihelriguel MEU PRIMEIRO CORAÇÃO PARTIDO E O DESASTRE DEPOIS DISSO

Essa históra será muuuito longa e é mais um desabafo, entendo q após ler vc pode me achar um ser humano horrível e eu entendo, mas me arrependi muito das minhas ações se serve de alguma coisa.
Olá Luba, editores, papelões sobreviventes, gatas e turma q está a lever.
Bem minha história aconteceu ano passado (ahh saudades de 2019) eu tinha 14 anos quando tudo começou. Por uns 3 anos eu tinha uma queda pelo meu melhor amigo q é gay e tipo eu sabia disso mas continuava a gostar dele, mas em Agosto eu decidi superar esse meu amigo.E é ai q a merda começa, eu comecei a "olhar" de uma forma diferente para um outro amigo meu (vamos chamar ele de Varls) ele sempre se abria comigo e eu lembro q em um dia o Varls me contou de um dia q ele pegou uma amiga dele no cinema (e eu fiquei puta de ciúmes , do nada) foi ai q eu percebi q gostava dele muito além q um amigo , e é claro q eu comecei a ficar meio boba perto dele e tava na CARA q eu gostava dele. Passou 1 semana e eu disse pra mim mesma q "não" gostava mais dele (na real acho q só guardei esses sentimentos).Em um dia a minha sala fez tipo uma excursão pra outra escola (estávamos no 9° ano e não tinha ensino médio na escola ai nos levaram nessa escola pra ver como era) dividiram a nossa sala em 2 grupos o 1° grupo ninguém liga era todos um bando de chatos metidos, já o 2° grupo era formado por eu, meus amigos (incluindo meu amigo gay) e o varls. Eu e meu amigo gay sempre fomos bem próximos (ele sempre foi perfeito acho q por isso tive uma queda por ele) eu sempre segurava a mão dele SEMPRE e só a mão dele (era o único menino q eu andava de mão dadas), até q em um momento o Varls simplesmente segurou na minha mão (eu sei é algo normal, MAS PRA MIM NÃO) e eu deixei é claro, ai o meus sentimentos voltaram pra me fuder.No dia seguinte dessa excursão eu toda trouxa iludida q sou fui perguntar pro Varls qual menina q ele tava gostando e ai ele toodo tímido falando tipo "ain nun sei, vc conhece ela muito bem" até q ele falou q era eu. E ai vc vai começar a ver as minha atitudes questionáveis, quando ele falou isso eu entrei em pânico total parece q na minha cabeça começou a soar uma sirene dizendo "ALERTA VERMELHO, ALERTA VERMELHO" o engraçado foi minha melhor amiga Mariana (vou expor ela sim, guardem esse nome ela é uma peça importante nessa história) já toda feliz dos dois amigos dela namorando e tals (coitada outra iludida igual eu kakakaka).Depois q ele se declarou pra mim (detalhe, ele já sabia q eu gostava dele) eu fui uma completa idiota, escrota e babaca com ele; comecei a evita-lo a TODO custo, não dei satisfação nem nada só comecei a ignora-lo (me arrependo muito dessa atitude imatura minha), mas era oq eu sabia fazer de melhor fugir ou tentar fugir dos meu problemas. Bom depois de um tempo sendo MUITO fria com ele a gente voltou a conversar normalmente como éramos antes, conversamos muito principalmente pelo discord.Acho q se passou alguns meses, acho q a gente ja tava em outubro só não lembro se isso aconteceu antes ou depois do meu aniversário a gente tava conversando eu, Varls, dona Mariana e um outro amigo (ele é irrelevante) o Varls fala: "eu sei q vc ainda gosta de mim Vitória" eu eu fiquei tipo ??????? ai a Mariana (te amooo) falou: "e vc Varls ainda gosta dela?" e ele disse q TALVEZ, ai o sentimentos q estavam se normalizando em mim voltaram com força total (novamente pra me fuder). Depois virou meio q um vai e vem sem nenhum dos dois se assumindo ou tentando algo, eu por ser insegura e não estar me sentindo preparada e ele pq sei lá; nossos amigos (a gente tem o mesmo círculo de amizade) seeeempre me falavam pra eu dar uns pegas nele só q por mais q eu queria não me sentia pronta e nem segura sobre ele (como eu havia dito antes ele se abria comigo e naquele ano ele me falou q teve uma queda por umas 3 meninas da minha sala antes de mim, e eu fui a única q correspondia ele) não sei oq ele sentia por mim e eu não iria dar um salto de fé (nem fudendo). Por impaciência dos meus amigos eles meios q nos "forçaram" a algo o Varls por livre e expontânea pressão dos nossos amigos ele decidiu me pedir em namoro, levou anel e tudo, e ele se ajoelhou e pediu e eu aceitei pq tipo tava todo mundo em volta e fiquei com vergonha de dizer não, passou uns 4 minutos q ele me pediu e eu fui e chamei ele pra um cantinho e devolvi o anel, expliquei pra ele q aquela não era a hora pra mim ainda era muito imatura, mas ele não aceitou o anel e disse pra eu ficar com ele (o anel era mó bunito) OBS: perdi o anel depois hihihihihhi. A nossa amizade aparentemente continuou a mesma e eu fiquei bem feliz com isso (por mais q a gente não fosse namorar ainda estimava a amizade dele); corta pra dezembro último dia de aula, eu toda bobinha com ele esperando ele chegar na nossa festinha, esse último dia foi terrível eu e meus amigos não iriamos estudar mais juntos (estudamos por 4 anos juntos), foi uma choradeira e quando eu fui abraçar o Varls (detalhe: eu pedi pra ele ir pra mesma escola q eu ia,mas ele foi pra uma mó cara (burguês safado)) ai eu perguntei chorando litros: "a gente ainda vai se ver?" e ele disse na forma mais fria "não sei" (não escorreu uma lágrima). Esse momento é irrelevante pra história mas quero compartilhar: quando eu fui embora dei um beijo na bochecha dele e disse "adoro seu cheiro" (aliás o perfume dele era a perfeição, mas sinto uma vergonha de ter dito isso ). Corta para o começo do ano de 2020, comigo ainda sentindo algo pelo Varls e pedi para Mariana (minha fadinha linda perfeita) mandar meu novo número de celular para ele, pra ver no que ia dar, eu e Varls conversamos mas sei lá a gente não dava certo como antes, mandava mensagem no celular da Mariana fingindo ser ela (totalmente autorizado pela própria), ate q ela decidiu perguntar se ele ainda gostava de mim e eu iludida esperançosa com a resposta (sou um pouco bipolar e contraditória eu sei) bom a resposta não foi oq eu esperei, na verdade ele disse q não sabia bem ao certo e que queria só seguir em frente, essa resposta me quebrou e eu decidi fazer o mesmo né (eu já tava imaginando a nossa vida juntos, misericórdia sou muito trouxa) mas mesmo assim ele conversava e me ligava pelo discord BASTANTE, ate q um dia (eu ja estava "bem" em relação a ele) a gente começa a conversar pelo Whatsapp e ele me manda uma foto de açai (eu amo açai) e falo "se eu sonhar com açai essa noite é culpa sua" e ele me responde com "se eu sonhar com vc é culpa sua" E FIQUEI DOIDA, pouco tempo depois ele saiu da conversa (passei a noite quase toda pensando nessa maldita frase) no dia seguinte questionei ele e o Varls simplesmente disse q era uma brincadeira, isso me quebrou, depois foi eu lá mandar mensagem dizendo q ainda gostava dele e ele disse "ata" só isso, chorei horrores. O incrível q ele é super frio, e grosso comigo a Mariana tbm concorda comigo q ele é super frio, isso me deixa triste pq eu ainda gosto dele e ver q ele superou tão rápido e eu to aqui na fossa é uma merda, além disso a nossa amizade não é a mesma não temos a mesma intimidade e dinâmica de antes, e acho q não o conheço mais, em algumas vezes ele ainda é legal comigo em outras é frio, quando eu não converso com ele ta ok mas quando a gente conversa tudo começa a voltar EU TO PIRANDO DE LEVE.
Eu tenho a teoria de q ele é frio comigo como vingança pelo q fiz antes a ele mas ele tbm é frio com a Mariana, aliás eu pedi desculpas pelo q fiz antes e ele meio q me desculpou.
tá ai meu desabafo, relevem qualquer erro ou algo do tipo
submitted by vivihelriguel to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.07 03:35 obomdaguerra A Gringa

Ola Luba, gatas, editores, Fodrigo Raro e turma que está a ver, bem, está história começa quando eu estava jogando e apareceu um mundo do Minecraft aleatório para mim entrar e eu entrei então dps disso essa pessoa me add (no Xbox) e mandou "hi" e eu respondi e dps de um tempo ele(a) começou a mandar umas ideia errada, tipo do mais singelo nada ela manda: meu amigo tomou um tiro no Canadá mas pelo menos ele sobreviveu" e aí começou as paradas estranhas, a gente continuou conversando e de novo do nada ela manda "I like you♥️" mas isso era de noite então eu n vi mas no próximo dia eu digo "hi" e ele(a) manda "hi" dps disso ele(a) mandou: "i love you♥️", daí eu começou a ficar estranho... Eu esqueci de falar que enquanto isso acontecia eu estava em call com meus amigos e então nos resolvemos fazer uma espécie de frio e calculista então, eu e eles principalmente n achavam q era uma menina pois né, e uma gringa aleatória vindo conversar comigo, daí nós fomos conversando mais até q do nada ela manda "I'm having a crush on you" (estou tendo uma queda por vc) então eu mando "pq vc falou isso do nada" (só q em inglês) e a conversa acaba aí... Mas dps continua com eu perguntando o nome dela e ela dizendo as respostas reais e eu tbm e tals, só q meus amigos e eu tivemos a ideia nem um pouco genial de falar "vc quer namorar comigo?" E ela respondeu "sure" (mas acabou em 1 hora) daí eu perguntei futilidades e tals e eu perguntei a idade e ela disse 14, é eu disse 12 ( q é minha idade real) e mesmo eu sendo 2 anos mais novo ela continuou, até q eu perguntei se era boy or girl e ele falou "boy" e dps ele disse q tbm tinha 12 e tals... Moral da história sempre desconfie de alguém da internet pq pode se ele ao invés dela
submitted by obomdaguerra to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.05 13:14 Luquinyahs O AMOR DOCE PARTE 1

Olá Luba, editores, possíveis webconvidados, Diabéticos, animais, plantas, seres humanos, gatas do Luba, finados papelotes e turma q está a ver
Contexto: bom, meu nome é Lucas, tenho 14 anos, sou mineiro e tenho diabetes tipo 1, caso você não saiba, existe um acampamento para diabéticos, o mesmo lugar q a viihtube fez a série dela.
Durante o acampamento deste ano(em janeiro) revi o Marcio(este não é o nome verdadeiro)que já conhecia há 4 anos e somos melhores amigos a distância já q ele é de SP assim como a maioria dos acampantes e o Carls que também é de SP, conheci ano passado e somos amigos,
Ao chegar no embarque no ônibus, conversei com ambos e conheci uma amiga do carls chamada Panda, bom, eles já se conheciam há anos e tem o fator de que eles moram na mesma cidade, eu conversei com eles e ela era legal, no ônibus, foram juntos e já dava pra perceber a atração chamegosa entre eles. Com o passar dos dias, eu e o Marcio ouvimos do próprio carls que ele gostava dela (era óbvio, eles passavam o tempo todo juntos e havia uma troca de olhares, quando eu via, eu pensava: eu vou morrer sozinho, carinha de choro/10) ao descobrir, o Marcio saiu correndo atrás do carls falando: carlssssssss, seu danadinhooo. Passou mais um dia e era meu aniversário! Carinha de felicidade emoji de bolo, a panda que havia errado a data do meu aniversário e me deu parabéns um dia antes e ficado sem graça pq errou, tentou me dar um mata Leão (que não funcionou) e disse PARABENSSSSS, o carls seguia ela pra tudo q é lado e agora não foi diferente mas ok. Aquele dia era especial pois iria acontecer a
 FESTA DO HAVAI 
Esta festa noite era importante pois era meio romântica e tal, para você ter ideia, antes da festa, serviam pizza pra gente para termos energia para dançar, porque a glicose pode cair, o carls disse que ia se declarar pra panda na festa, eu e o Marcio ficamos tipo:
VAI CARLS VOCÊ CONSEGUE O carls se arrumou todo, passou perfume e pa, na festa, vi o carls algumas vezes mas o evento x ainda não tinha acontecido então me concentrei em dançar
BALAI TU CUERPO ALEGRIA MAKARENA (continua a musica)
Depois da festa, conversei com o carls e o evento x havia acontecido, agora eles estavam namorando, eu disse para o carls que ele não podia mais ser meu amigo já que meus amigos não podem namorar para não me deixar triste. No resto do acampamento, andávamos junto:eu, o Marcio, e o casalzinho. Era um saco, as vezes eu tava falando alguma coisa, olhava para trás e eles tavam se beijando. Até aí ok, eles namoravam, mas eu e o Marcio começamos a perceber que o Carls era grudento e um pouco ciumento, teve uma vez, eu tava passando mal e tive que ir comer balas para subir a glicose, a panda achou que também estava com a glicose baixa (isso não é nenhum perigo, só precisávamos comer açucar) e tinha um enfermeiro com o que necessário bem ali, falamos para o carls e o Marcio irem lá fazer a atividade que íamos fazer (caiaque) o Marcio foi pois não tinha motivo para se preocupar mas o carls insistiu em ficar com a gente, aquilo me soou como um pouco de ciúmes, sempre que a panda ia conversar com alguém, o carls ia atrás. Depois do acampamento
Conto na parte 2 Luba, até lá
submitted by Luquinyahs to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.05 00:35 brbr3542 Fui abusado quanto tinha 5 anos

Primeiramente gostaria de dizer que esse texto possa conter gatilhos para certas pessoas pois é sobre abuso sexual. Sei como é doloroso e recomendo você pular esse post.
Nos meus 23 anos de idade NUNCA contei isso para ninguém. Sempre foi um segredo que guardei para mim, mas como dizem os psiquiatras e estudiosos do tema, quanto mais velho ficamos, mais a vontade de colocar para fora aumenta.
Tomei essa decisão porque hoje vi um post de um usuário aqui relatando como ele tinha sido abusado. Eu comentei meu caso, mas agora tenho mais detalhes.
Primeiramente, tudo o que dizem sobre os abusadores serem pessoas próximas é a mais pura verdade. Se você tiver filho, tome cuidado, pois 99% das vezes são pessoas próximas que abusam.
Segundamente, até uns 5 anos atrás eu não tinha consciência de que eu tinha sofrido abuso. Para mim tinha sido algo normal, mas definitivamente não foi.
Meu comentário havia sido com poucos detalhes, mas me lembrei de datas importantes. O primeiro abuso foi ao som de "Namorar pelado" (uma música de axé) e "Já sei namorar" dos Tribalistas. Ambas músicas foram lançadas em 2002 e o pior é que eu amo essa música dos Tribalistas e toda vez que ouço me remete a esse episódio.
Meus pais haviam me deixado um sábado na casa do meu tio para brincar com meus primos que moravam em outro estado. Em um dado momento, não me recordo como cheguei nisso, só me lembro que estava pelado e sendo penetrado pelo meu primo de 14 anos. Eu tinha somente 5 anos! Foi aí que eu me lembro que tive minha primeira ereção, porque ele ficava passando a mão no meu pênis até ele ficar duro para que eu tentasse penetrar ele.
Eu lembro até hoje da dor de sentir meu ânus sendo aberto pelo pênis dele. Fiquei nessa situação por uns 40 minutos. Retornei para casa e ele havia me dito que isso seria um segredo entre eu e ele "brincadeira de primos", como ele dizia. A diferença era que uma criança de 5 anos não tem consciência nenhuma da vida, enquanto um marmanjo de 14 já ejacula e produz espermatozóides.
Alguns anos depois, em 2005 (eu tinha 8 anos e ele 17) fui com meus pais até a cidade dele. Fui ao segundo andar no quarto dele e perguntei o porquê dele ter feito aquilo comigo e se ele lembra do que ele fez.
Ele disse que não sabia do que eu estava falando, pediu para eu trancar a porta e deitou na cama. Então ele falou que me explicaria se eu pegasse no pênis dele. Eu então segui o que ele disse, até o momento que ele pediu só para colocar a "cabecinha". Como estava trancado o quarto e, novamente, eu tinha somente 8 anos, não tinha noção da realidade, sentei nele, só que dessa vez o pênis dele era bem maior e mais grosso. Doeu tanto que fiquei quase 2 semanas sem conseguir sentar direito. Eu então abri a porta e saí correndo.
Depois desse dia nunca mais tive coragem de olhar na cara dele ou chegar perto dele. Atualmente ele possui uma filha e vive postando fotos da família dele dando a entender que é o pai perfeito.
Moral da história: pensamos que essas coisas só acontecem com os outros. Mas não. Eu sou de uma família classe média, sempre estudei em escola particular. Todos que me veem nem sonham que eu passei por isso. Ninguém que eu conheço sabe sobre isso. Você já se perguntou se alguém próximo a você foi abusado?
Eu nunca demonstrei nenhum sinal de que fui abusado. Por todos esses anos carreguei esses pensamentos. Já fiz psicóloga por 2 anos e NUNCA tive coragem de falar isso para ela. Vai ser algo que provavelmente vai morrer comigo, tirando aqui que posso postar anonimamente.
Tomem cuidado. Não deixem seus filhos ou irmãos com quem quer que seja! Esse meu primo é alguém acima de qualquer suspeitas e ele fez isso comigo. Os abusadores são os que estão mais próximos.
Desde esse episódio aos 5 anos tenho ansiedade e problemas com minha sexualidade. Não é apenas uma brincadeira entre primos quando um tem 5 anos e o outro 14, ou quando tem 8 e ele 17.
Eu só não contei para ninguém na época porque aconteceria uma tragédia. Tenho certeza que meu pai ou minha mãe matariam ele. Certeza absoluta.
Eu só rezo para que ele não faça nada de mal para a filha dele. Antes que digam, não vou contar isso para ninguém. Isso é algo que morrerá comigo no caixão.
Não deixem quem vocês amam sozinhos com NINGUÉM.
P.s.: eu tenho a impressão que a minha prima já falecida ajudou ele a me dopar para me levarem para o quarto quando eu tinha 5 anos porque eu me lembro dela fechando a porta com a gente lá dentro, mas enfim, não é algo que eu possa afirmar, então prefiro acreditar que ela não teve participação nenhuma nisso.
submitted by brbr3542 to desabafos [link] [comments]


2020.07.02 18:13 juh_lin Sou babaca por não querer namorar um garoto q me ama desde os 7 anos?

Olá Luba,editores,gatas,papelões q se foram e tudo mais...
Bom essa história é um tanto quanto...fofa?(eu acho,sei lá).Tudo começou quando eu tinha 7 anos,eu sempre fui uma criança muito extrovertida e q adorava fazer novos amigos.Oq eu mais gostava era interagir com os meninos(até pq as garotas eram cheias de frescurinhas e nhe nhe nhe,e eu sempre odiei isso). Os garotos eram bem doidos,nojentos,idiotas e bobos,mas eu super me identificava com eles.Mas só tinha um problema,um dos garotos tinha uma quedinha por mim,mas ele sabia q o meu negócio nunca foi namorar e tals,então ele ficava reprimindo esses "sentimentos". Mas voltando ao presente... Agora eu já tenho 14 anos,mas ele ainda gosta de mim. Recentemente uns amigos meus tentaram nos aproximar,mas eu já disse q não sinto nada por ele,e q inclusive eu já achei a minha "cara-metade".Mas eles continuam insistindo e querendo q a gente fique junto. Esse garoto já tentou de tudo:ele já me deu bombons,já se declarou na frente da turma inteira,já foi embora pra casa cmg e tudo q seja fofo,tudo pra tentar me convencer a namorar com ele,por mais q eu já tenha dito q não sinto nada por ele.E eu não sei se estou sendo babaca por rejeitar ele,então estou recorrendo a turma/chat(eu necessito de ajuda,obrigada).
Um beijo pro nosso lubixco(sem barba)e pras gatas tbm <333
submitted by juh_lin to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.26 21:00 Nerd_Miojinho A Irmã de Consideração

Olá Luba, editores, gatineas, possível convidado e turma/Chat que está a ver.
Bom Luba no fim de 2018 eu estava gostando de um menino (Carls) e ele dizia gostar de mim também, como estávamos de férias torcíamos para o início das aulas. Na primeira semana ele estava sendo completamente fofo comigo, me abraçava, beijava minha testa, me mandava mensagem de bom dia e boa noite, tínhamos caído na mesma sala pelo 3° ano seguido junto com meus amigos e os amigos dele, também tinha uma menina nova (vamos chama-la de Pucca pq depois esse virou o nosso apelido pra ela -pq vc tem som de T-). A Pucca era army e éramos as únicas da sala então acabamos virando bem amigas, ele era e a (Farls) eram minhas duas únicas amigas. Com o passar dos meses eu senti que o Carls estava se aproximando da Pucca eu já estava começando a ter ciúmes, bom eu tinha razão em abril de 2019 eles começaram a namorar a Pucca que tinha total ciencia do que eu sentia por ele a Farls me ajudou bastante e mesmo assim não desisti do menino. Algumas semanas depois eles terminaram e eu parei de falar com a Pucca, Carls ficou bem triste e eu o consolava, um dia jogando ele encontrou uma menina que começou a conversar, ele se apaixonou e começaram a wabnamorar, eles tinham várias brigas e eu sempre o ajudava mesmo ele falando que eu era sempre a causa das brigas -Ele não podia me abraçar que ela surtava- eu continuei sempre ali… Esperando por ele. Eu estava tendo ensaio por causa do aniversário de 15 anos da Farls e lá eu conheci um menino muito mais velho e ele era muito legal comigo, Farls queria que a gente ficasse mesmo meus pais sendo contra, tipo ele tinha 23 e eu 14 meu pai pediu pra eu parar de ir aos ensaios o meu aniversário de 15 chegou e eu tirei várias fotos com o Carlls e com Farlls foi muito legal. Chegou setembro e o dia do aniversário do Carlls, ele estava muito triste pq tinha terminado definitivamente com a menina do jogo e pq seus pais não estavam ligando pro seu aniversário. Luba eu tinha 25 Reais, eu comprei material pra fazer bolo, balão, bala, fiz a vela dele e um presente (sim eu fiz, faço artesanato) O melhor amigo dele que torcia pra gente ficar junto me ajudou levando refri e descartáveis, fizemos uma festa surpresa pra ele na escola, e bom o presente era simples, porém, de coração, era uma caixinha escrito “10 motivos pra te amar” e eu estava me declarando pra ele -mandei ele só abrir em casa-. Carlls me agradeceu e foi falar com os amigos, ele não me deu atenção nenhuma na festa, porém, eu estava feliz de velo feliz. A Farlls ficou do lado dele o tempo todo, e eles sempre se tratavam como irmãos. Chegaram as férias de novo, e eu fiquei triste pq não o veria todo dia, porém, ele prometeu que me visitaria. Ele cumpriu sua palavra e sempre vinha na minha casa, a gente ia à praça e ficava conversando até que um dia a gente entrou no assunto de eu gostar dele, a gente estava voltando pra minha casa e ele me beijou -algo que já tinha acontecido, porém, nunca do jeito que aconteceu- ele disse: “Eu estou gostando de você de novo, e sla você é incrível” e me beijou Quando chegamos no meu portão ele do nada falou “Ei eu vou tomar coragem, da próxima vez que vier aqui quero pedir você em namoro e falar com seu pai” ele me beijou de novo e esperou eu entrar. Luba duas semanas depois ele postou que estava no shopping com a namorada quando olhei os status de um outro amigo lá estavam ele e a Farlls de mãos dadas depois disso nunca mais falei com ninguém e eles acham que eu sou a babaca
submitted by Nerd_Miojinho to TurmaFeira [link] [comments]


Oque muda depois dos 14 anos MILIONÁRIA AOS 14 ANOS  ISABELA MATTE - YouTube NAMORAR AOS 12 ANOS ? ADOLESCENTES QUERENDO NAMORAR Como começei a namorar com 10 anos Recado para mulheres de 40 a 50 anos que querem namorar ... Namoro aos 12 anos !!!!! - YouTube

Tenho 14 anos. Posso namorar ? Yahoo Respostas

  1. Oque muda depois dos 14 anos
  2. MILIONÁRIA AOS 14 ANOS ISABELA MATTE - YouTube
  3. NAMORAR AOS 12 ANOS ?
  4. ADOLESCENTES QUERENDO NAMORAR
  5. Como começei a namorar com 10 anos
  6. Recado para mulheres de 40 a 50 anos que querem namorar ...
  7. Namoro aos 12 anos !!!!! - YouTube

QUAL É A IDADE CERTA PRA NAMORAR ? - Duration: 7:11. Canal da Lindoca 46,705 views. 7:11. EXISTE CERTO E ERRADO NO ESTILO DA GAROTA CRISTÃ? - Duration: 8:43. Fabiola Melo 495,849 views. Os pais dela não deixa você namorar com ela - Duration: 2:11. Billi ... Atriz que fez 'Maria Joaquina' assume namoro aos 12 anos - Duration: 3:14. mundo esporte 154,863 views. 3:14. Language ... Neste vídeo você encontrará os desafios desta faixa etária quando o assunto é vida amorosa. Bora conhecer e superar esses desafios? Meu nome é Jaqueline Pint... MILIONÁRIA AOS 14 ANOS I ISABELA MATTE Oi gente! Nesse primeiro vídeo do canal vou contar para vocês um pouco da minha história, da criação da minha empresa ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. um beijo enorme para Viih Ramos ola pessoal vim aqui com o vídeo sozinha que é oque muda depois dos 14 anos espero que gostem a e não se esqueça de deixar seu comentário é se inscrever aqui ... Mas já? Atriz que fez 'Maria Joaquina' assume namoro aos 12 anos - Duration: 3:14. mundo esporte 156,736 views